Peregrinação á imagem de N.S. Aparecida em Treze de Maio/SC
Cicloturismo Grupos de Pedal

Peregrinação á imagem de N.S. Aparecida em Treze de Maio/SC

BSM

Bom dia amigos, como vão?

Venho lhes contar sobre a minha última pedalada, no feriado do dia 12 de outubro de 2017.

Foi programado com antecedência, acho que uns 15 dias antes já estávamos programando essa pedalada.

Para alguns é só um desafio normal, um pedal de 75km, com altimetria grande de 1500m acumulados, mas pra mim é mais que isso.

Tenho um propósito, e sempre nos dias da padroeira Nossa Senhora, gosto de ir até a imagem que fica na cidade de Treze de Maio/SC, bem no alto de uma colina.

Pessoas vêm de todos os lugares para ir até o local, e as estradas ficam cheias de romeiros, a maioria caminhando, mas com muitos ciclistas também.

Faço essa rota todo dia 12 de outubro desde 2014, e só falhei em 2016 por que no meio do caminho houve um acidente com um parceiro, e tivemos que voltar.

Mas então, chegou o grande dia, iríamos sair as 6h da manhã e acordei as 5h, para tomar um café, colocar a roupa, e ir acordando aos poucos.

Peguei a bike, que já estava cheia de apetrechos, e coloquei a roupa, adicionei meus mantimentos obrigatórios aos bolsos traseiros da camisa e fui.

Falando nisso, todo ciclista deve andar com:

  • câmara de ar reserva ou remendo.
  • água ou isotônico.
  • barra de cereal, fruta ou chocolate/paçoca.
  • luzes de identificação.
  • farol.
  • capacete
  • dependendo do tempo, leve capa de chuva ou cortavento.

E pelo menos alguém do grupo deve ter:

  • bomba de ar.
  • chaves de regulagem.
  • chave de correntes.

No meu caso ainda levei minha caixinha de som portátil, pra ouvir um som enquanto pedalo.

Relógio bateu 5h50 e saí.

Ao chegar ao local combinado, encontrei os amigos.

Até aquele momento, tempo normal, nublado, mas sem chuva.

Até esse momento estávamos em 12 guerreiros, mas encontraríamos mais 3 pelo caminho, totalizando 15 ciclistas.

Nosso plano seria sair do local combinado e ir pelo bairro São João, Morrotes, Sertão dos Correa (a partir daqui, estrada de chão batido), Sertão dos Mendes e Morro das Pedras (divisa entre tubarão e Treze de Maio), para chegar então a Treze de Maio (asfalto novamente), e então ir para o interior de Treze de Maio até a imagem, pegando novamente estradas de chão batido.

A partir da localidade Sertão dos Correa, começaríamos a pegar algumas subidas, e a gente sabia que iríamos ter dificuldades, mas foi tudo bem.

E bem nessa localidade, a chuva nos pegou de jeito, o que piorou a situação, mas estávamos determinados.

Foi um tal de tirar capa de chuva, cortavento, e o que mais se tivesse levado.

Mas o moral ainda estava muito alto!!

Ao chegarmos na cidade de Treze de Maio, os romeiros já estavam pelas ruas, e é muito legal ir cumprimentando e conversando com eles muitas vezes.

Como vão a pé, a viagem deles é ainda mais sofrida, e sempre estão perguntando a distância que falta…

A gente também não tem a distância bem correta de quanto falta, e quando alguém perguntava, a gente dizia o que achava… uns gritavam,  “falta 7km”…. Logo depois  passava alguém e dizia para a mesma pessoa “falta 8,5km”…   E eles ficavam pensando, puxa, será que tá aumentando.. hahaha

Falei isso pelas palavras que escutei de um romeiro.

Encontramos uma “família” na beira da estrada, mas não entramos por que os pais não estavam em casa…rsrs

Quando vi essa placa, parecia que estávamos em casa…

Eu sabia que dali em diante era perto.

Mas ainda tinha a pior parte (e mais divertida), subir a trilha da imagem!

Já estávamos bem perto, e mais alguns poucos minutos chegamos no pé da colina da imagem.

A chuva foi tanta que até o sapo morreu afogado, aparentemente… hehe.

A chuva foi tanta que até o sapo morreu afogado, aparentemente… hehe.

A esse ponto estávamos já bem pertinho, mas com as panturrilhas doendo de empurrar a bike. Chegada na colina, com muita gente, o esperado era de que 60mil pessoas passassem pela imagem nesse dia, o que é muito para o município de Treze de Maio, que tem aproximadamente 7 mil habitantes.

Muita gente mesmo, era dia de festa!!

Por onde os romeiros sobem, é um caminho todo concretado, uma rampa, mas é muito cheio de pessoas, e é apertado, se fossemos por lá, as bikes iriam atrapalhar demais, então resolvemos contornar o morro por uma trilha que passa um trator que leva mantimentos lá pra cima.

A trilha é bem puxada, muito inclinada e com muito lodo e barro vermelho.

A ida foi difícil.

A inclinação não era o problema maior, porque até daria para subir a maior parte do trajeto, mas o barro entupia as garras do pneu, e o mesmo patinava muito, impossibilitando a subida montado na bike.

Pneu entupido de barro acima… Isso porque já tínhamos tentado limpar um pouco.

Alguns guerreiros até tentaram, mas não houve quem conseguisse subir todo o trajeto pedalando.

Em pouco tempo chegamos no topo.

A sensação é indescritível!

Misto de alegria, satisfação e devoção…

Chegando então em cima, ao lado da imagem, é hora de fazer uma reflexão, de descansar, e de comer alguma coisa.

Tirar fotos, brincar com os amigos.

E depois de uma meia hora, bora voltar, por que queríamos almoçar em casa, hehe…

A trilha é muito técnica, e na volta ficou mais difícil ainda, em muitos níveis.

Escorregava…  se você travasse demais e não escorregasse, poderia capotar pra frente, por que era bem inclinado, e paralelo a isso, pense num barro escorregadio, cheio de pedras também escorregadias?

Confesso que desci a maioria com a bike na mão.

Agora, era a hora de pegar a estrada.

Não era novidade, o caminho foi o mesmo da ida, e o diferencial seria que agora estávamos um pouco mais cansados.

Pra nos saudar, caiu uma chuva torrencial, daquelas de lavar a alma e novamente coloquei a capa de chuva.

Eu tinha levado alguns chocolates e comi quando estava lá do lado da imagem, mas alguns preferiram comer algo no caminho.

Paradinha pra comer algo na padaria.

Apesar do horário, a serração pegava.

Era por volta de 11h nessa foto.

Bom, graças a DEUS foi tudo bem, sem nenhum problema maior.

Todos foram e voltaram com segurança.

Talvez foi nossa prudência, mas gosto de acreditar que foi “ela” quem estava nos velando…

Segue um vídeo do pedal !!! Ficou show!

Abraços, e até a próxima!!!



Publicado em: 20/10/2017 - Atualizado em: 20/10/2017

Tags:
A EasyBikes utiliza imagens arrematadas em pesquisas diárias. Portanto, ressaltamos que algumas imagens não são de nossa autoria ou cedidos formalmente para utilização no site. Por favor entre em contato pelo nosso formulário caso seja o autor de alguma imagem utilizada e gostaria que a mesma fosse removida.