Desafio concluído!!  Dessa vez consegui ir até o topo!
Cicloturismo Grupos de Pedal

Desafio concluído!! Dessa vez consegui ir até o topo!

BSM

Olá amigos!

Com satisfação venho informar um desafio concluído!

 

 

Já de começo, to colocando o vídeo resumo dessa pedalada que irei relatar:

 

Talvez tenha sido o desafio mais importante que já realizei, e não só pela pedalada em si, mas por ter falhado anteriormente e ter ficado um sentimento ruim, de que estava faltando algo, de que quando eu olhava na direção daquele morro, ele estaria gargalhando de mim… hehe

 

Resolvemos nos juntar, eu e alguns amigos que  também não conseguiram subir até o topo do morro da Igreja na pedalada de julho/17,  e dessa vez não voltaríamos antes de chegar ao topo.

 

Da esquerda pra direita: Thiago, Júlio (eu), Márcio, Marcelo, Giovane, Murilo e Paulo Marcos.

Nossa pedalada começou com a viagem de carro até Aiurê,  e fomos contemplados com um dia quente, e sem chuva, ótimo para o pedal.

 

Digo isso por que na última tentativa, estava muito frio, usava uma camisa de ciclista, uma camisa de malha, e mais o cortavento, e mesmo assim fiquei com frio…  E neste dia mais quente, usei somente a camisa de ciclista e cortavento, sendo que logo após passar Serra do Corvo, já estava quente demais para usar corta vento.

Foi o dia perfeito!

 

Largamos os carros, colocamos as roupas, pegamos os lanches (no meu caso usei uma mini mochila onde levei coisas essenciais tais como:  lanche, remendos, gatorade, camera de ação entre outros), e botamos as bikes na estrada.

 

Adorei essa foto, parece estarmos acima das nuvens…

Serra do Corvo, sente a parte dos cotovelos logo acima !

Com pouco esforço, chegamos ao topo da Serra do Corvo, mas como já falei anteriormente, a Serra não é o maior desafio, mas sim o morro da igreja.

Porém, se estamos lá, por que não tirar fotos, né?

 

 

Bom dali em diante, é sem segredo…  São 15km compreendendo a descida da serra do corvo, e o trecho plano até o começo da subida do Cindacta.

Abreviarei essa parte, e passarei direto para parte onde chegamos no começo da subida do morro da Igreja (Cindacta), onde encontramos como da última vez, uma lanchonete harmoniosa e com lanches quentinhos.

Dessa vez comi somente um aperitivozinho, para não encher a barriga.

Encontramos mais alguns colegas ciclistas na lanchonete

È aqui que o desafio começa…

É dali que o bicho pega!

Dali em diante, serão 17km de subidas, de onde já consegui subir acho que 10km da última tentativa, mas tamanha eram as dores na perna, voltei sem terminar o feito.

Antes de começar de contar sobre a subida, devo dizer que me preparei para esse dia.

Fiz dieta, perdi 5kg (estou acima do peso ainda, mas perder 5kg fez diferença), e treinei muita subida nos meses que antecediam esse pedal.

Havia dia de sair de casa e subir a mesma montanha 2x, só pelo treino de subida.

E segundo indicações de amigos, resolvi tomar uns bcaa para ajudar com as dores nas pernas!!!

Saímos dali com o ego muito alto, e com vontade de chegar no topo.

Fomos dessa vez pedalando devagar e sempre, e quando tínhamos pedalado 2,5km, foi que notei que havia deixado minha mini mochila no bar…

Pensa num sentimento de perda…

Fiquei naquela, será que deixo ela por lá mesmo?  Será que desço?   Mas dentro dela havia coisas que eu não queria perder, e resolvi descer.

No fim, fiz 19,5km de subida nesse dia… haha.

Quando chegamos na guarita onde se pede autorização, ficamos até chocados, pois foi de repente, achava que seria muito mais difícil.

Até esse momento (km 7 da subida) estava tranquilo e sem dor nenhuma, e meus colegas também.

Subimos mais um pouco, e chegando no km 10, paramos para dar uma descansada.

 

Continuamos…

Sem segredo, foi pedal devagar, pedal sempre…

E sobe, sobe e sobe.

Não tem arrego, as pequenas descidas que tem, não chegam a animar.

E no meio das subidas, haviam subidas inclinadas… Algumas com 16% de inclinação, segundo meu GPS (uso um gps Atrio).

 

A animação veio em dose cavalar quando começamos a ver a base aérea do Cindacta, bem de longe, mas já dava sinal.

Aquela “bola” é o radar da aeronáutica…

Infelizmente não bati fotos de lá do portão do Cindacta/morro da Igreja, mas tem uma curiosidade importante…

Você vai pedalando e aquele radar (bola) vai chegando perto, e quando está bem grandona já, você chega no portão principal.

Então você pensa:  Agora tá perto, são menos de 500m, pelo que vejo, mas não é assim.

Ande mais um pouco, e verá que a partir dali, é uma descida grande, e não desce reto, desce fazendo uma curva para a direita, fazendo com que o que parece 500m, se parecerá com uma descida e subida de mais ou menos uns 2km….

A essa hora, não estava acabado, mas já estava cansado, porém nem perto de como estava da última vez.

Estava cansado o corpo todo, e não com dores fortes nas pernas como na tentativa anterior.

Portanto foi só continuar no ritmo da tartaruguinha, e seguir adiante, e foi o que fiz.

Pedal atrás de pedal e cheguei lá em cima…

 

No topo !!!!!

Desafio cumprido !

 

Depois disso, foi descansare descer os 17km alucinantes (no final do vídeo, muito divertido mesmo, e ponto alto do passeio.)

 

Aconselho a todos que gostam de pedalar e se aventurar nesse passeio Serra do Corvo e morro da Igreja.

Mas, segundo experiência própria, procurem ir no verão, ou numa temporada não muito fria, pois lá no frio é frio de verdade galera… hehe

 

Até a próxima!!

 

 



Publicado em: 19/09/2017 - Atualizado em: 29/09/2017

A EasyBikes utiliza imagens arrematadas em pesquisas diárias. Portanto, ressaltamos que algumas imagens não são de nossa autoria ou cedidos formalmente para utilização no site. Por favor entre em contato pelo nosso formulário caso seja o autor de alguma imagem utilizada e gostaria que a mesma fosse removida.