ANATOMIA DE UM DESPREPARO
Cicloturismo News

ANATOMIA DE UM DESPREPARO

Tenho o prazer de disponibilizar meu mais novo lançamento pseudoliterário. Um estudo profundo sobre os reflexos que a imagem de uma empresa sofre quando faz sofrer 3000 ciclistas. Boa leitura!

(Ah, é grátis mesmo, caminho livre para a leitura)

ANATOMIA DE UM DESPREPARO

Prefácio

Este pequeno “livro”, livre de bloqueios, é uma bomba sobre o caso deste último domingo, da ECOVIAS & PM x BICICLETAS, assim poderemos ajudar a corrigir erros históricos e atitudes histéricas.

Introdução

Nesta última década, tivemos um grande acréscimo no número de ciclistas em São Paulo e região do ABCD, que sempre desejaram uma ligação cicloviária com a Baixada Santista, justamente pela proximidade (pelos de 100 quilômetros de distância). Algo que sempre foi negado, pois “bicicletas não pagam pedágio” ou são “objetos apenas de lazer” na visão distorcida do grande empresariado rodoviarista. Mas o CTB – Código de Trânsito Brasileiro é claro ao transformar, a partir dos anos 90, a bicicleta em meio de transporte, além de dar a ela o status protecionista, junto ao pedestre, perante ao demais veículos pesados. Em qualquer parte do mundo a bicicleta é aceita e incentivada a fazer parte de rotas entre cidades, regiões e países, muitas vezes menores que nossas maiores cidades brasileiras. Por que então tanta resistência na colônia feudal paulistana, a mais rica de nossa Terra Brasilis?! É o que exporemos nos próximos capítulos.

Capítulo 1

Bicicleta é um transporte “ECO-LÓGICO”, sustentável, amparado por leis, que diminui o tráfego nas grandes cidades, quando adotado em massa, entre outras benesses, que a Concessionária ECOVIA CAMINHO DO MAR S/A (ou ECOVIA DOS IMIGRANTES S/A) que deveria apoiar, já que tem no nome o DNA da palavra ECO inserido, mesmo tento objetivos contrários que são o fomento apenas aos veículos poluidores, que lhes rendem milhões de Reais ao dia. É uma mina de ouro que deveria fomentar a estrutura de cicloturismo também.

Capítulo 2

Quando a mesma empresa fala que “apoia” o uso da bicicleta e que não proíbe o uso da mesma em suas rodovias (nem comentaremos o fato de terem placas de proibição de bicicletas, mesmo quando há acostamento), mas desaconselha “a descida”, o que a empresa deveria fazer? Buscar alternativas para não ser tão contraditória. Mas o que ela efetivamente faz por isto? Nada ou, simplesmente, bloqueia todas as possibilidades de acesso do que seria a maior rota cicloturística do Estado de São Paulo, quiçá do Brasil, ligando São Paulo e a região do ABCD à Baixada Santista. Somente neste domingo, segundo a PM, foram mais de 3000 ciclistas barrados, injustamente, de terem a possibilidade de concluir seu curso ao litoral.

Capítulo 3

Imagine o impacto financeiro para os municípios da Baixada Santista ao receber somente 3000 ciclistas em um domingo. Imaginou?! Não?! Então vamos fornecer uma pequena noção do que isso possa representar:

3000 ciclistas = 3000 consumidores
Gasto mínimo (uma garrafa de água mineral de R$ 2,00) = R$ 6.000,00
Gasto médio (almoço e bebida, considerando uma média de R$ 30,00) = R$ 90.000,00
Gasto máximo (o que pode representar uma boa ideia de como o cicloturismo faria bem a todos, considerando gastos de R$ 100,00) = R$ 300.000,00

Parecem números modestos. Sim são modestos, pois a realidade pode extrapolar estas expectativas. Vejamos mais no próximo capítulo.

Obs.: Até aqui a conta é fácil de ser entendida até mesmo por um simples vendedor ambulante de praia.

Capítulo 4

Considerando que a maioria destes ciclistas vão precisar retornar às suas cidades, como eles fariam?! Está aí a questão que interessa à ECOVIAS: voltam de carros e ônibus, que desceram até as cidades da Baixada para “resgatá-los”. Vamos considerar que destes 3000 ciclistas, apenas 1000 sejam “resgatados” por veículos de pequeno e médio porte:

• Se cada veículo levar apenas uma bicicleta? Seriam quantos carros a mais em suas Rodovias, ECOVIAS?! Só 1000 veículos (estimativa otimista).
• Mas se cada um levasse 2 bicicletas em seus transbikes?! Vou dar um tempo para fazerem as contas de quantos veículos e qual o valor arrecadado em suas cabines de pedágio. Sei que é difícil para vocês calcularem desta forma.

Agora partiremos para uma conta mais difícil e menos interessante aos cofres milionários da Concessionária ECOVIAS. Continuando o raciocínio: Sobraram 2000 ciclistas que voltariam como? Suponhamos que voltariam de ônibus, que sejam fretados ou regulares entre Terminais Rodoviários. Considerando a lotação média de 40 passageiros, sem considerar o volume que as bicicletas fariam nos bagageiros amplamente ou não espaçosos, teríamos uma média de apenas 50 ônibus circulando para o destino final dos ciclistas. Representa pouco ou nada para a empresa que fatura milhões e nada faz em prol das minorias ciclísticas.

Capítulo Final

Em feriados, em geral, passam pelos pontos de pedágio da ECOVIAS, mais de um milhão de veículos rumo ao Litoral Paulista. O que rendem aos seus cofres (em valores atuais de pedágio) algo em torno de R$ 25.600.000,00 (repito: considerando “apenas” um milhão de veículos ao custo unitário de R$ 25,60 do pedágio, no caso veículos de passeio). Agora saibam, que a ECOVIAS alegar ter tido apenas em 2016, um lucro de R$ 77,6 Milhões. Só?! E de quanto foi a receita bruta em 2016?! Somente R$ 270,6 Milhões. Estranho não?! Para eles NÃO. Estranho mesmo é permitir que ciclistas passem sem pagar. Por isso, bloqueio com bombas, Batalhão de Choque da PM, mesmo tendo passivos e pacíficos 3000 ciclistas que aguardavam pelo óbvio: a liberação das pistas, já que não passava mais nenhum veículo mesmo. Teria feito muito bem e traria uma imagem positiva para acionistas e opinião pública sobre a ECOVIAS se a mesma tivesse permitido. Agora, sua imagem está mais suja do que acostamento cheio de lixo descartado.
Se as pistas tivessem sido liberadas aos ciclistas e os alertas luminosos informassem para que os motoristas respeitassem os ciclistas (não usando ameaças aos ciclistas sobre a proibição), qual o valor que a empresa ECOVIAS agregaria a sua imagem?! A de uma empresa que realmente pensa no futuro.

Mais sobre o Balanço Patrimonial da Concessionária em:

https://ecostorageapp002.blob.core.windows.net/content/Ecocataratas/Media/574F45A9-F0A0-4F12-AFD9-FFB43E575547.pdf

Imagem gentilmente cedida por Barbara Aguiar



Publicado em: 12/12/2017 - Atualizado em: 12/12/2017

A EasyBikes utiliza imagens arrematadas em pesquisas diárias. Portanto, ressaltamos que algumas imagens não são de nossa autoria ou cedidos formalmente para utilização no site. Por favor entre em contato pelo nosso formulário caso seja o autor de alguma imagem utilizada e gostaria que a mesma fosse removida.